BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

6 de abril de 2010

FIC, Show do Esteban!

Essa é uma história FICTÍCIA, ok?

Numa certa quarta-feira mal saberia que seria um dos dias mais felizes da minha vida.
Queria tanto ir no show do Esteban que mal havia dormido na noite que antecederia o show. Acordei super cansada mais na esperança da minha mãe dizer a frase que mais escrevi pela casa:
-VAMOS PRA PORTO!
Acordei, e estava chovendo bastante, fui tomar banho e me arrumar pra ir a escola,me vesti com as minhas melhores roupas, na esperança de estar bonita por Tavares. 
Almocei e as horas não passavam nunca, quando a minha mãe veio quieta e parou na porta do meu quarto, me assustei parecia que alguém tinha morrido foi quando ela disse que não iríamos ao show, como assim, tava tudo certo, comecei a chorar desesperadamente, já tinha até perdido a hora da minha aula, nunca chorei tanto na minha vida, quando me acalmei um pouco fui para a escola. Cheguei triste e todas as minhas amigas vieram tri animadas falando sobre o show, quando contei que não iria mais, todas ficaram tristes até eu ter uma idéia. Decidi fugir. Simplesmente não medi as consequência que poderiam acontecer.
Quando deu 15:30 fui para a rodoviária pegar o ônibus das 15:45 pra chegar cedo na fila. Enquanto eu estava no ônibus me lembrei que não sabia ir até o shopping Total, isso não era um bom sinal, mais continuei feliz. Quando desci em PoA, comecei a pergunta pra todo mundo como fazia pra ir, qual ônibus pegava, até que encontrei uma guria que também estava indo para o show, ela estava vindo de Pelotas, ela pelo menos sabia ir até lá. Pegamos o trem para pegarmos outro ônibus depois. Descobri que ela era mais louca que eu, até que chegamos no shopping.
Tinha muita gente, uma fila gigante, mais a primeira pessoa que eu me deparo já fez meu dia valer, encontrei a minha sogra mãe do Tavares, Dona Marli, ela é linda demais, um amor de pessoa.
Eu já estava feliz da vida, quando chegou um cara me perguntando se eu era a Gabriela, nós havíamos conversado pela comunidade do College, e eu havia contado que não teria como voltar pra casa, pois não teria mais ônibus.  Ele nos convidou para ir num bar que tem lá perto pra matar hora pra depois irmos ao bar Porão. Aceitamos de cara apesar de ter falado uma vez com esse cara, era melhor que dormir na rodoviária.
Quando foi 18h abriram as portas do John Bull, o bar no qual seria o show, teve umas bandas legais antes até que anunciaram que começaria o show do Esteban, quando ele entrou eu não acreditei que estava lá, ele estava na minha frente a menos de 1 metro de mim, ele olhou pra nós e sorriu, eu comecei a chorar feito uma louca, nisso meu telefone começou a tocar, era a minha mãe, o que responder, atendi e disse a verdade sabendo que passaria um ano de castigo, mais para a minha surpresa minha mãe riu e me desejou bom show.
Foi o show mais lindo e perfeito que poderia existir. Depois que acabou o show nos encontramos com o cara da comunidade, ele tinha convidado mais um pessoal pra ir junto, inclusive uns caras da banda que havia tocado antes. Um deles pediu pra nós esperarmos pois o ele queria conhecer o Thedy Corrêa, amigo do Tavares e vocalista da banda Nenhum de Nós, que havia feito uma participação em Sophia. Depois de uns minutos ele voltou mega feliz, pois além do Thedy ele tinha encontrado o Tavares. Ele teve a brilhante idéia de convidar eles para ir ao bar junto, e para aminha surpresa eles haviam aceitado.
O cara perguntou se tinha alguém que era histérica ou que choraria se visse o Tavares, eu fiquei quieta na minha, mais durante o show todos perceberam a minha emoção e acabaram me entregando. Ele pediu pra mim tentar me controlar, mais eu sabia que seria impossível, mais disse que tentaria. Quando de repente surge um homem alto e magro com um perfume muito bom, quando o reconheci escorreu uma lagrima no meu olho, ele olhou e deu sorriso lindo, e cumprimentou a todos, quando ele veio me dar oi, eu corri e abracei-o, todos deram risada de mim e ele ficou imóvel, eu comecei a chorar e perguntava se ele existia mesmo. Todos riam muito e ele meio sem jeito só dizia sim eu existo. Me puxaram pra o largar, quando eu olhei para o seu rosto comecei a chorar aos berros, me deu um ataque de fanatismo, até ele riu de mim. Decidimos ir até o bar próximo que íamos pra matar tempo, fomos todos a pé, pois era perto, e eu só dizia para minha amiga, esse é o dia mais feliz da minha vida.
Chegamos ao bar, era um lugar bonitinho por fora, os caras que estavam conosco pareciam freqüentadores pois conheciam todo mundo do bar, sentamos numa mesa e veio o garçom, eu pedi uma smirnoff, todos me olharam estranho, quando um perguntou a minha idade, tive que falar afinal se eu mentisse ele ia pedir a minha identidade, assim seria pior, tive que pedir um guaraná para deixar todos felizes, o pior é que todos estavam bebendo refrigerante. Percebendo isso, me indignei e levantei pra perguntar por que todos estavam bebendo refrigerante, todos caíram na risada, eu precisava beber pra poder esquecer todas as coisas doidas do dia, até que uma boa pessoa resolveu a pedir uma cerveja, não era o que eu queria mais tava valendo.
Nunca uma cerveja foi tão boa, e veio outra e mais outra quando me dei por mim, já havíamos bebido umas 10, mais estávamos em muitas pessoas o que não tinha dado nem uma garrafa pra cada um ainda. O pessoal começou a se despedir afinal já era quase uma da manhã de quinta, e todos tinham que trabalhar. Ficou apenas eu a guria que encontrei na rodoviária e o guri da comunidade e o Tavares e seus amigos. Já tava na hora do bar Porão, então explicamos que precisávamos ir, até que eu tive a idéia de convidar eles pra ir junto conosco, era uma coisa impossível, ele não poderia ir pois era uma pessoa pública, mais ele disse que poderíamos dar uma volta por Porto Alegre, pois ele estava com saudades de lá. Obviamente aceitamos, pegamos carona com um amigo dele, passamos por vários lugares, pela Redenção, pelo Olímpico, pelo Beira-Rio, por vários lugares legais até que enquanto nós passávamos pela Cidade Baixa encontramos um bar fofo, no qual o Tavares disse que  frequentava na sua época, paramos por lá, ficamos até umas 6 e pouco da manhã bebendo e conversando, me lembrei de dizer a ele que eu ouvia o privê89, coisa que não foi legal, pois ele começou a contar para os outros caras que estavam lá sobre o que ele falava no programa, e a conversa desceu pro nível (divertido) do programa. Foi só palhaçada a noite toda, ele é uma pessoa muito engraçada, tem sempre uma história boa pra contar de sua adolescência doida que teve. Ele perguntou de onde nós éramos daí eu tive que contar toda a minha história e o meu drama pra ir ver ele, todos riram e me chamaram de louca, mais o Tavares disse que na época dele ele também aprontava dessas, a mãe dele sofria com ele, e que dessas só foi pra pior, isso me assustou um pouco.
Quando já estava amanhecendo percebemos que já era hora de irmos embora, nos levaram até a rodoviária e nos despedimos, o abracei com tanta força e me lembrei de dizer desculpas por incomodar ele no twitter, e agradeci por ter me dado o melhor dia da minha vida, ele disse que não se importa com as pessoas falando com ele, ele gosta do carinho das fãs, mais que o dia não teria sido perfeito se não fosse nós, nos despedimos e peguei o meu ônibus vazio de volta pra minha casa. Cheguei cedo da manhã, e abri a porta, pensei que a minha mãe estivesse acordada me esperando, mais ela tava dormindo, fui direto pra minha cama, eu tava tão extasiada que mal conseguia fechar os olhos. Dormi sonhando com o cara mais perfeito, que além de lindo me fez a pessoa mais feliz do mundo.

Beeijos Gaabe